sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

RESENHA: SUCKER PUNCH - MUNDO SURREAL



Nota: 8,5

Dirigido por Zack Snyder, essa produção de origem norte americana possui, como o título em português sugere, características extremamente surreais e gira em torno da protagonista Babydoll (Emily Browning), que vai parar num sanatório após ter sido incriminada por seu padrasto pelo assassinato que este cometeu contra sua irmã mais nova, visando ficar toda herança deixada por sua mãe recém-falecida.

Ao chegar ao sanatório, deprimida com toda a situação a garota momentos antes de executar uma primeira sessão de lobotomia, transporta todo o mundo ao seu redor para um bordel, onde os funcionários e pacientes do sanatório estão presentes cada um com um alter ego em seu mundo imaginário.

No bordel, ela conhece outras garotas que estão na mesma situação que ela, sendo mantidas presas, por Blue, o gerente do lugar, que é o funcionário que recebe Babydoll no sanatório e combina quanto o padrasto irá pagar pra mantê-la de boca fechada. As garotas são Rocket e Sweet Pea (que são irmãs), Blondie e Amber; elas são obrigadas a ensaiar diariamente buscando excelência nas apresentações de dança. Já em sua primeira dança, Babydoll hipnotiza a todos e o filme é transferido para uma outra dimensão, em uma espécie de templo samurai, onde ela encontra pela primeira vez um guru, que a seguirá durante todas essas viagens. São cenas de ação incríveis em que a protagonista luta com os samurais e durante a conversa com o mestre, ele a diz que ela irá precisar de cinco elementos para ser livre: um mapa, fogo, uma faca, uma chave e o quinto elemento seria um mistério. Quando a dança se encerra, estamos de volta ao salão de dança e todos estão voltando de transe.

No camarim, Babydoll apresenta às outras garotas um plano de fuga, tendo como base os cinco elementos, citados anteriormente um mapa do prédio, um isqueiro, uma faca e uma chave mestra para abrir todas as portas. No plano, Sweet Pea fica responsável por pegar o mapa na sala de Blue; Amber deve pegar o isqueiro no bolso do paletó do prefeito; Rocket irá roubar a faca do cozinheiro; e quanto à chave que fica no pescoço de Blue, Baby ficaria responsável. Durante a execução de cada ação do plano, Babydoll dançaria para todos, os hipnotizando, tomando assim atenção para si e deixando pista livre para botar em prática cada etapa do plano, transportando em cada dança o filme para uma batalha diferente, sempre com o guru do início liderando o grupo das garotas.

Para pegar o mapa, Babydoll distrai a todos com sua dança no salão de ensaios, enquanto Sweet Pea invade a sala de Blue. Somos transportados a uma guerra contra robôs, em que todas as cinco garotas estão armadas até os dentes e são combatentes muito hábeis e pegam o mapa a muito custo de uma base inimiga; quanto ao isqueiro, Baby dança no palco diante do prefeito, enquanto Amber, sentada em seu colo, pega o objeto, que o mesmo só dá falta após o fim da apresentação. Durante a ação, as meninas acordam um dragão filhote e arrancam suas ventas, acordando sua mãe que as enfrente vorazmente, mas é derrotada. Nesse ponto, Blue que já havia dado falta do mapa em sua sala, liga o fato do sumiço do isqueiro do prefeito e ao entrar no camarim, vê as garotas comemorando e as ameaça, notando que elas estão planejando algo. Sweet Pea, com medo, sai do grupo, mas retorna pouco depois.

A próxima etapa do plano é a faca, que as garotas pretendem roubar do cozinheiro enquanto Baby dança pra ele. Dessa vez somos transportados a uma situação onde as garotas devem desativar uma bomba que está num trem desgovernado, enfrentando adversários robôs (que lembram os de “Eu, Robô”, inclusive). Quando elas conseguem desativar a bomba, um robô que estava no chão se levanta e atinge Rocket. O fato se deu pois o chão da cozinha estava molhado e a música tema para dança de Babydoll parou, interrompendo o transe do cozinheiro, que dá uma facada em Rocket, que morre pouco depois. A confusão atrai Blue que, revoltado, diz que era isso que elas estavam procurando e prende Sweet Pea num closet, já que ela está transtornada com a morte da irmã e diz que as outras irão dançar normalmente à noite.

Blue volta ao camarim para tirar satisfações com as garotas e Blondie entrega que caguetou todo o plano para a professora de dança. Blue mata Blondie e Amber a sangue frio e quando tenta estuprar Babydoll toma uma facada. A bela pega a chave mestra de seu pescoço, liberta Sweet Pea, e as duas, em posse do mapa, localizam a saída. No entanto, Babydoll descobre finalmente qual era o quinto elemento que o onipresente ancião havia lhe falado, era ela própria, ela então se entrega, permitindo que Sweet Pea prosseguisse com sua fuga.

Baby acorda com o final da lobotomia, em que a doutora (que era a professora de dança) e o médico que estão fazendo o procedimento questionam a necessidade daquele método, sendo que a doutora informa que tudo aquilo que havia sido feito no bordel, também havia ocorrido no sanatório, ou seja, Baby traçou um paralelo em sua mente de tudo que acontecia, inclusive com Sweet fugindo. Quando Baby está prestes a tomar uma surra de Blue (que trabalha no sanatório), a polícia chega e o prende.

No final, vemos Sweet Pea tentando ingressar num ônibus sem passagens, levantando suspeita de policiais, porém o motorista (ancião e líder do grupo durante os devaneios de Baby) dá o aval e fala que ela já estava no veículo a muito tempo e só parou para ir ao banheiro, ingressando e, dessa forma concluindo a fuga.

O filme encerra com Sweet Pea, tendo a sensacional reflexão:

“Quem honra aqueles que amamos pela vida que vivemos?
Quem envia monstros para nos matar?
E, ao mesmo tempo, canções que nunca vão morrer.
Quem nos ensina o que é real e como rir das mentiras?
Quem decide quem vai viver ou morrer defendendo?
Quem nos acorrenta? E quem tem a chave para a nossa liberdade?
É você. Você tem todas as armas que precisa.
Agora lute!”

É muito bom ver um filme chapante desse jeito, em todos os sentidos, um devaneio completo, ainda mais com a mediocridade atual de Hollywood chega a ser esperançoso ver um filme como Sucker Punch, com boa história, boas atuação e uma excelente trilha sonora.

Filme rock n’ roll. Altamente recomendado!



David Oaski  


14 comentários:

  1. Acabei de assistir ao filme, achei super interessante e criativo...
    Bela matéria sobre o filme, acabei tirando algumas dúvidas que eu tinha

    ResponderExcluir
  2. Ta agora me diz ?
    Quem assinou a folha ?
    Pq a Baby queria perder a memória ? Sendo qe quando mostra o rosto dela nem ta sangrando ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jaquelline, a folha que você fala é o documento que aprova a lobotomia? Se for, a assinatura que consta no documento é a da Madame Gorski, porém não foi ela que assinou, foi o Blue. No começo do filme ele fala para o padrasto da Baby que ele poderia falsificar a assinatura da madame, pq ele já tinha feito aquilo várias vezes.
      E a Baby não queria perder a memória, a lobotomia só foi realizada pq o Blue e o padrasto da Baby combinaram.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. e como ela pode ir para o mundo paralelo ? '-'
    veeesh .. nn entendo esse filme :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todas aquelas missões e o bordel era tudo da cabeça da Baby. Acredito que ela inventou o bordel e as missões por causa do trauma que foi perder a mãe e a irmã, é como se fosse uma porta de escape do hospício.

      Espero ter ajudado ;)

      Excluir
    2. As missões não vinham da cabeça da Baby e sim da Sweet Pea, a que termina viva no final, na verdade ela é quem narra, pois é tudo o que ela imaginou, a Baby era a garota mais sã de lá, ela tinha as ideias, do que pegar para se salvar e com isso quem inventava que a Baby era a lider era a Sweet. =]

      Excluir
  4. Um dos melhores que já assisti.. Insto também ensina a não julgar o livro pela capa, no inicio pensei que fosse mais um filme medíocre como tantos outros, mas me enganei dessa vez, um filme sensacional.. Recomendo!

    ResponderExcluir
  5. Gente na verdade swet pea e a personagem principal e a bay dool e o seu anjo salvador!!

    ResponderExcluir
  6. Ao meu ver a Sweet Pea(florita na versão dublada >.>) era quem imaginava tudo aquilo, o bordel e o mundo das missões. No começo do filme até uns 30 min mais ou menos é mostrado os cinco dias que antecedem à lobotomia da Babydoll, até que chega o dia da cirurgia e quando médico vai enfiar aquela agulha gigante/picador de gelo/seilá o que é aquilo na cabeça da menina acontece a mudança de personagem, e é como se o filme voltasse a parte em que a Baby chega ao manicômio e vê a Sweet na cama. Ao meu ver a história da Baby acabou nesse ponto, depois disso começa a perspectiva da Sweet, com o bordel as missões e tudo mais, por que foi assim que ela "viu" toda a história.

    Ai o filme continua de onde parou, da Lobotomia, e segue o filme no mundo real. Ao meu ver, como a Baby não lutou/se debateu/gritou quando estavam amarrando ela parecia que ela meio que tinha aceitado aquilo. Ai o cara fala "...foi como se..." e ficou no ar. Dentro dos "mundos" a Baby lutava por liberdade, eu havia interpretado como se ela quisesse se libertar daquela prisão, sai de lá, mas no fim pareceu que ela queria ser livre da magoa e da dor de perder a mãe e da culpa de ter matado a irmã e com a lobotomia ela conseguiu isso.

    Ah, e o "garoto ninguém" e o motorista do ônibus parecem ter sido incluídos na história pela Sweet Pea, quando ela estava relembrando - da perspectiva dela -, dentro do ônibus, de tudo o que aconteceu com ela.

    Foi isso que eu entendi pelo menos.

    ResponderExcluir
  7. Acabei de assistir o filme amei hahahah muito bom mesmo

    ResponderExcluir
  8. Esse foi um dos melhores filmes que eu ja assisti em toda minha vida. Poderia existir uma continuação ou até mesmo uma HQ dos devaneios da Baby. Alguem aí sabe de alguma coisa?

    ResponderExcluir
  9. Grande filme, mas só pra quem gosta de pensar.

    ResponderExcluir